quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Como ser um péssimo jornalista

Ontem eu recebi uma ligação a respeito de uma matéria sobre o Espaço que eu trabalho. Fiquei esperando a matéria chegar para ler e depois dar aquele "ok" que alguns jornalistas pedem. Quando terminei minha leitura quase tive trigêmeos!! O jornalista veio aqui em Junho e eu tinha acabado de entrar, ia fazer um mês. Por isso ficava a espreita tentando absorver tudo aquilo que falavam pra não fazer feio numa próxima vez.

Lá estava eu quando ele me perguntou da onde tinha saído a idéia do Espaço. Eu contei a história que sempre ouço, e vou colocá-la em aspas "Então, tem gente que pensa que foi porque o Brasil não foi bem na classificação dos estudantes de ciências, e tem gente que diz que foi baseado em estudos feitos pelo próprio governador de São Paulo. Mas isso são histórias, nada confirmado, essas perguntas você pode mandar por e-mail que a minha chefe pode responder melhor." E outra pergunta a respeito de visitas que eu respondi da seguinte maneira: "Felizmente estamos com um número de visitas acima do esperado, essa semana, por exemplo, tivemos várias visitas de turistas da Alemanha e dos EUA."

Antes mesmo de responder às perguntas, eu disse que não poderia ser usada como fonte e não poderia ser citada por ser estagiária e não trabalhar há muito tempo lá, ele concordou e tudo correu bem.

Acho que os meses de intervalo geraram conflitos na mente psicodélica do hijodeputamadrequelopariu. Ele teve a audácia de me colocar como fonte principal da matéria, Sara Heck, assessora de imprensa (nem temos assessoria aqui!!!), contou que o Espaço "foi desenvolvido devido à péssima qualidade do ensino público brasileiro". É pois é, mesmo que eu pensasse assim, não diria nunca a um jornalista isso, sendo que eu trabalho pro Estado, eu trabalho pro Governo. Seria pedir minha carta de demissão. Além do mais ele colocou outra citação minha aonde eu digo que "as maiores visitas que temos aqui são internacionais, da Alemanha e dos Estados Unidos".

Eu li, liguei e falei um monte. Eles tiraram minhas citações e entrevistaram educadores daqui!

Quando tudo isso aconteceu eu pensei "é isso que dá não precisar do diploma".

Não é fácil ser eu!

3 comentários:

Derla Cardoso disse...

Puts que osso. Cada vez mais lá está a falta de ética.

Braz disse...

Não acho que tenha sido falta de ética, acho que foi falta de habilidade!

Patricia disse...

Hahahaha, eu tenho medo de jornalistas!!