sexta-feira, 15 de maio de 2009

Cara de Psicóloga II

Não falei que tenho cara de quem ouve? Só assim explica porque as pessoas se sentem tão confortáveis comigo! Aconteceu novamente dois dias atrás.. Eu estava voltando do trabalho, e como é muito perigoso ir sozinha, eu fui em cia de Guilherme, o monitor! No caminho fomos conversando aqui e ali, e ele tinha um chupão do pescoço do tamanho do mundo, e muito roxo. Ainda falei "Pô Gui, você trabalha com criança amigo, não vacila assim não, elas vêm isso de longe, blá, blá, blá".. Pronto, foi o mesmo de dizer ABRA O SEU CORAÇAO..

Ele me contou altas histórias de uma menina que ele sempre foi imensamente apaixonado. Falou que eles nunca puderam ficar juntos e que ele ainda a ama. Faz três anos que tudo aconteceu. Contou que namorava uma menina há um ano e meio mais ou menos, "não fico contanto", revelou. O mais interessante era que a menina sabia que ele não a amava, ele sabia que ele não amava ela e mesmo assim a menina insistia em ficar com ele. Ainda fomos conversando sobre paixão após um determinado tempo de relacionamento, mas nunca após um ano e meio. 

Gui mora sozinho perto da Brigadeiro, divide um quarto com um amigo, não tem acesso a cozinha nem nada demais. Odeia isso, mas prefere do que morar com os pais. Falou que era menino pra casar, que não sabia ficar sozinho e que era muito carente.

E ainda me contou que o chupão não era nem da "namorada", e sim de uma outra louca que ele pegou e por isso vem evitando a namoradinha faz uns dias.... Isso é o máximo que aconteceu no caminho Parque D. Pedro II - São Bento, e ele ainda me contou que nunca tinha tido essa conversa com ninguém lá dentro do CCE ( ele é funcionário faz muito tempo já ). 

Nos dividimos e cada um foi pro seu canto, no caminho fiquei pensando nele. Parei pra pensar como é triste você sofrer por uma pessoa e se afogar em outra. Eu já fiz isso, mas nunca durou mais do que alguns meses, agora anos....

Ou até mesmo ficar pegando aqui e alí, mas por dentro sofrer e chorar por outra, por outro beijo, outro corpo. Já amei e sofri muito, mas são raríssimas as vezes que vi uma pessoa no rosto de outra, não que isso nunca tenha acontecido.

O pior de tudo é saber que ainda existem mulheres como antigamente. Que sabem que não tem o amor de seus maridos mas que estão satisfeitas porque tem um marido de fato. Coitada da menina que namora ele, nem pelas traiçõesm, e sim por acreditar em um fato que não vai acontecer - de fato!

Se fosse fácil encontrar quem amamos todo mundo seria feliz. Agora não basta encontrar, se satisfazer, e não receber nada em troca. Eu particularmente não consigo nem imaginar essa situação.

Eu prezo pelo mútuo! Sempre

Um comentário:

Heloisa Moraes disse...

Eu não reclamo, pois já encontrei essa pessoa.
Agora, mudando de assunto (pq vc pediu pra eu escrever aqui senão vc esquece!): ce me empresta um livro?? pode ser aquele ou algum outro, sei lá! hahaha
bjs!