sexta-feira, 8 de maio de 2009

Violinos ao fundo

Ela estava lá, ele também. Conversavam, amigavelmente, amorosamente... Ela sorria mas evitava ao máximo cruzar os olhos, ou olhar suas mãos, seu corpo. Agradecia imensamente por estar fazendo outra coisa no mesmo instante, tendo assim desculpa para deviar o olhar. Percebia no seu tom de voz que ele também se sentia confortáve, apesar de parecer um pouco apreensivo.

Assim foram conversando, enquanto o tempo passava e eles não saiam do lugar. Deram risada juntos, como sempre fizeram... Ela teve uma vontade imensa de tocar sua pele, de acarinhar seu rosto, de beijá-lo. Era vontade apenas, dela.... Como puderam se dar tão bem e simplesmente se separarem? Como ele não ficou magoado e ponto de não querer vê-la depois da jogada que ela fez? Essas eram perguntas que ficavam no ar, em ambas as mentes... 

Enquanto ela cantarolava a música do rádio, ele mexia no celular. Quando foram se despedir com um beijo no rosto, ela tentou desesperadamente mostrar no abraço o quanto o queria. Mas ele pareceu não notar.

Pareceu nem perceber que ela estava alí...

Foi embora.. Ela também...10 minutos depois ela voltou pra onde tinham se despedido numa tentativa inútil de encontrá-lo passando por lá.. Ficou lá por mais 20 minutos...Nada..

Ele foi embora..

E ela ficou olhando rostos na rua, vendo apenas um...

Querendo ser sua companhia de fim de semana...

Ou pelo menos vista, sentida, tocada...

Amada...

2 comentários:

Braz disse...

Tem coisas que acontecem... e nunca mais!

Derla Cardoso disse...

Opa! Realmente!