quinta-feira, 16 de abril de 2009

Tensão

Porque envelhecemos?

Para tornarmos mais maduros, mais independentes. Para contar aos nossos sucessores as nossas histórias, contar-lhes sobre a nossa época. Envelhecemos para valorizarmos todos aqueles que estiveram ao nosso lado, para aprender a respeitar o próximo. O fazemos para ensinar, para aprender, para nos tornar mais fortes, e vividos. Para que possamos olhar pra trás e sentir orgulho do que passamos e de como o fizemos....

Envelhecemos, dia após dia, ano após ano. Enquanto isso acontece, perdemos quem amamos por serem mais velhos e fracos que nós. Um verdadeiro ciclo.

Queria parar no tempo, quando eu tinha apenas 11 anos. Se assim o fosse não começaria a perder as pessoas importantes em minha vida, em minha formação. Não teria chorado em um enterro, sem entender o que estava acontencendo.

Se eu não envelhecesse, não estaria escrevendo sobre isso no meu blog, talvez nem teria um blog, mas teria as pessoas que perdi ao meu lado.

Enquanto vou ficando mais velha, e os que amo mais fraco, vou entrando em desespero por querer parar de crescer, por querer parar de aprender.

Hoje, pela centésima vez em meus 21 anos, estou apreensiva, com medo. Um medo diferente dos outros que tenho, esse é intenso, é único. O meu maior receio é que não há nada que eu possa fazer pra passar esse medo, só esperar, resultados, exames, semanas.....

Não quero mais crescer psicologicamente se isso acarretar mais perdas. Não consigo imaginar uma pessoa tão frágil, tão boa, tão amada indo embora pelo simples fato de eu envelhecer. Se cada dia que passo enfraqueço os que amo...

Sou rodeada de "velhos" que amo, e já eram velhos quando nasci. Agora são apenas corpos definhando, esperando humildemente que a biologia faça sua parte e que os leve para o paraíso.

Enquanto eles viajam para o céu, eu fico estagnada no meio termo....Sofro por não poder mudar as coisas, por não poder produzir elixires, pedras filosofais, por não me tornar vampira.

Esse blog tem um ano de idade, e alguns meses, já tive que escrever 3 posts de despedida, 3 textos, em 1 ano. Não quero ter que escrever um quarto texto, não acho que estou psicologicamente preparada, acho que ainda não cresci o suficiente....Espero nunca crescer.

Porque cada um que se vai leva uma parte de mim, um órgão, uma parte do meu sorriso. Se eu parar de sorrir, paro de viver.. Pelo menos assim ninguém mais me deixa.

Ainda que tenho milhares de pessoas que amo ao meu redor, longe do meu veneno de crescimento. Queria poder ter todas juntas ao meu lado, contando as histórias de seu tempo, explicando as coisas, me ensinando, cozinhando, sorrindo, fazendo miojo.

Não conseguirei viver sem aquele miojo, sem aquele corpo frágil, sem aquele sorriso, sem aquele amor que nem mesmo o sangue pôde mudar.

Os próximos posts desse blog dependem de um simples exame médico, que vai ser feito amanhã, mas que esse amanhã não chega nunca. Enquanto ele não chego eu enveneno mais gente, escrevo mais despedidas, vou ficando cada vez mais sozinha.

E eu sei, você sabe e o mundo que me conhece sabe que eu não sei viver sozinha. Por favor, não me deixe sozinha....

2 comentários:

Heloisa Moraes disse...

A solidão é sempre o maior medo das pessoas. Ele paralisa, asfixia, obscurece toda a visão de um possível futuro. O que nos mantém de pé é deixar as lembranças imaculadas num invólucro de amor passado e mastigar aquele bolo amargo da dor da perda e do crescimento e cuspi-lo no chão, diariamente, como todos nós fazemos.

Porque crescer é uma merda!
Também não quero mais brincar disso.

Derla Cardoso disse...

Agora estou preocupada!